sábado, 16 de março de 2013

Ética, Cidadania e Segurança Pública.


Capítulo 3

Ética, Cidadania e Segurança Pública

ÉTICA, CIDADANIA E SEGURANÇA PÚBLICA são valores entrelaçados. Não pode haver efetiva vigência da Cidadania numa sociedade que não se guie pela Ética. Não vigora a Ética onde se suprima ou menospreze a Cidadania. A Segurança Pública é direito do cidadão, é requisito de exercício da Cidadania. A Segurança Pública é também uni imperativo ético.

A luta pela Ética, a construção da Cidadania e a preservação da Segurança Pública não constituem dever exclusivo do Estado. Cabe ao povo, às instituições sociais, às comunidades participar desse processo político de sedimentação de valores tão essenciais à vida coletiva.

Além de oferecer reflexões para uma leitura individual, suponho que este texto pode eventualmente servir de subsídio para o debate dos temas aqui tratados. Esse debate pode ocorrer nas universidades, escolas, comunidades, igrejas, agremiações políticas e em muitos outros espaços sociais.

1. INTRODUÇÃO (Objetivos deste texto)

Este texto tem a finalidade de estimular reflexões e provocar debates a respeito de um problema que tem preocupado as pessoas, as famílias, as comunidades, todos aqueles que, de alguma forma, têm consciência de sua responsabilidade social. Trata-se da questão da Segu­rança Pública e do equacionamento dos desafios que lança. Trata-se mais: de buscar o provimento do direito que a sociedade tem à segurança, sem quebra da Cidadania e sem menosprezo à Ética.

Não constitui pretensão nossa, nem esgotar o assunto, nem dizer a última palavra.

Se este texto provocar controvérsias, alimentar discussões, oferecer pistas – teremos alcançado nosso propósito.

Apresentamos nossa visão do que seja Cidadania, numa cartilha que escrevemos (ABC da Cidadania) e que alcançou ampla circulação (duas edições de 10 mil exemplares, esgotadas).

No “ABC da Cidadania”, defendemos um conceito amplo do que deve ser entendido por “cidadania”. A contribuição criativa que demos ao exame do assunto foi acrescentar uma dimensão ao que já foi escrito sobre cidadania. Além das dimensões de que tratam outros autores, vislumbramos uma “dimensão existencial” na cidadania. Assim, a cida­dania tem cinco dimensões:

· dimensão política;

· dimensão civil;

· dimensão social e econômica;

· dimensão educacional;

· dimensão existencial.

A cidadania tem uma dimensão existencial. Isto quer dizer o seguinte:

a cidadania é condição para que alguém possa, realmente, “ser pessoa”.

O que significa “ser pessoa”?

Significa ter sua dignidade humana respeitada.

A dimensão existencial da cidadania nos remete a compreender que para “ser cidadão” é preciso ser respeitado como “pessoa humana”.

A cidadania é um acréscimo à dimensão do “ser pessoa”. Ninguém pode ser cidadão se não é pessoa, se não lhe reconhecem os atributos próprios da dignidade humana.

O conceito de “pessoa humana” ganha toda a sua dimensão exist­encial quando aceitamos a idéia de “transcendência”, ou seja, a idéia de que a pessoa humana, a vida humana ou a história humana transpõem o tempo. Essa visão de “transcendência” depende do credo de cada um, da filosofia que a pessoa adote.

Em princípio, o ser humano é um ser transcendente: uma centelha de I)eus (se somos crentes), ou unia centelha do mistério ou da realidade da vida (se não professamos uma crença determinada). De qualquer forma. a “pessoa humana” é uma centelha de valor infinito.

Deixamos em aberto a questão da crença porque esta é urna questão pessoal, que cada um resolve de acordo com sua consciência.

3. NOSSA VISÃO DO QUE E SEGURANÇA PÚBLICA

Todos os seres humanos necessitam de segurança. Todos os seres humanos têm o direito de serem protegidos do medo, de todas as espécies de medo.

O medo tem raízes profundas na alma dos seres. Radica-se no inconsciente e é objeto constante da pesquisa científica, com destaque para a Psicanálise.

Temos medo do abandono, de passar necessidade e privações, medo das agressões, da doença, da morte.

Uma sociedade que se funde no “espírito de solidariedade” procu­rará construir modelos de convivência que afastem o medo do horizonte permanente de expectativas. Numa sociedade fraterna, o homem não será “lobo” do outro homem.

Nossa Constituição determina que a Segurança Pública é dever do Estado, direito e responsabilidade de todos. Será exercida para a preser­vação da ordem pública e da incolumidade das pessoas e do patrimônio.

Incolumidade, como define o Aurélio, é a qualidade ou estado de incólume. Incólume, de acordo com o célebre dicionário, entende-se como “livre de perigo; são e salvo; intacto; ileso”.

A redação do artigo constitucional, a nosso ver, foi absolutamente infeliz porque não se pode colocar, lado a lado, pessoas e patrimônio, estatuindo que a Segurança Pública preserve a “incolumidade das pes­soas” e a “incolumidade do patrimônio”. A “pessoa humana” é sagrada. O “patrimônio” não é sagrado, o patrimônio só se justifica no serviço que preste á pessoa humana.

Antes de tudo, com absoluta prioridade, sem qualquer bem ou valor que se possa assemelhar a este, a Segurança Pública deve preservar a incolumidade das pessoas.

O provimento da Segurança Pública inscreve-se dentro de um quadro de respeito à Cidadania. A Cidadania exige que se viva dentro de um ambiente de Segurança Pública. Não pode haver pleno usufruto da Cidada­nia, se trabalhamos e dormimos sob o signo do medo, do temor, da ameaça de dano ou lesão a nossa individualidade ou à incolumidade de nossa família.

O “direito à segurança em geral” e o “direito à segurança pública” são “direitos humanos fundamentais”. Não há qualquer oposição entre “direitos humanos” e “segurança pública”, como um certo discurso tendencioso pretende sugerir.

5. SEGURANÇA PÚBLICA E RESPEITO IRRESTRITO AOS DIREITOS DE CIDADANIA

O Poder Público, com a participação da sociedade, há de prover a “segurança pública” como caminho para o exercício da Cidadania. No provimento da Segurança Pública deverá o Estado estar atento ao con­junto dos “direitos humanos” e dos “direitos do cidadão”. Não se justifica que, em nome de uma pretensa exigência de segurança pública, sejam sacrificados determinados “direitos humanos” ou determinados direitos inerentes à Cidadania.

A busca da Segurança Pública e a busca da Cidadania Plena deverão constituir um projeto solidário do Poder Público e da Sociedade.

6. UNIÃO, ESTADOS E MUNICÍPIOS EM FACE DA CIDADANIA E DA SEGURANÇA PÚBLICA

Tanto a Segurança Pública quanto a Cidadania, são temas nacio­nais. O provimento da Segurança Pública e o estabelecimento de condi­ções para o florescimento e o exercício da Cidadania cabem, antes de tudo, à União e aos Estados da Federação.

No desenho estabelecido pela Constituição Federal, o Município tem o dever de prestar os serviços públicos de interesse loca].

A Segurança Pública, em princípio, não se inscreve no rol dos “serviços públicos de interesse local”. A defesa da Cidadania também não se limita, em principio, aos horizontes municipais.

Entretanto, nem por isso, o Município está descomprometido com a luta pela Segurança Pública e pela Cidadania.

A Segurança Pública e a Cidadania, numa primeira abordagem, são interesses sociais que transcendem o “interesse local”.

Mas se assim é, numa primeira abordagem, cabe um aprofunda­mento da questão.

A Segurança Pública e a Cidadania, por envolverem o cotidiano das pessoas, acabam repercutindo no âmbito daquelas relações face a face, diretas, paroquiais que dão aos dois temas certas feições de “inte­resse local”.

Por esta razão, cabe ao Município suplementar a ação federal e estadual para garantirá população local “segurança pública” e “cidadania”.

7. ESTE CAPÍTULO NÃO ESGOTA O TEMA; PELO CONTRÁRIO, PRETENDE SUSCITAR REFLEXÕES COMPLEMENTARES

Há muito que se discutir e pensar a respeito da Segurança Pública.

Aos Poderes Públicos, em suas diversas esferas, que papel cabe desempenhar, nesta matéria?

Que pode e deve ser feito pelos Poderes Municipais, no sentido de cooperar para a fruição plena da Cidadania pelos habitantes das comunas?

Que pode e deve ser feito pela comunidade, pelas organizações não governamentais, pelas igrejas, pelas lideranças populares, pelas organi­zações de bairro, em prol da Segurança Pública e da Cidadania, no âmbito local?

Quais são as mais prementes urgências da Segurança Pública e da Cidadania, no país, no Estado, no Município, no bairro?

A iluminação pública adequada pode contribuir para que haja um ambiente de maior “segurança pública”? Uma crise nacional de energia elétrica justifica a redução da iluminação pública ou essa iluminação é uma prioridade social, em nome da Segurança?

Há no seio da população a consciência de que todos são participes numa política de Cidadania e Segurança Pública?

Texto estraido do sitio DHnet.

http://www.dhnet.org.br/direitos/militantes/herkenhoff/etica_cidaania.html

quinta-feira, 14 de março de 2013

Guardas municipais de vários Municípios do RN elegem nova Diretoria e Conselho Fiscal do SINDGUARDAS/RN.

Logo SINDGUARDASRN

Nos dias 12 e 13 de março, centenas de Guardas Municipais se mobilizaram com o processo democrático. A nova gestão foi eleita com 99% de aprovação dos eleitores que compuseram 70% do quórum de aptos a votar. Uma verdadeira consolidação da representação dos Guardas Municipais no RN, assim como na maioria dos estados do Brasil. A ANATA parabeniza a nova Diretoria eleita, e deseja muita sorte e sucesso em suas lutas vindouras.

A nova Diretoria eleita para um mandato de 03 (três) anos terá a seguinte composição:

DIRETORIA EXECUTIVA

Presidente: Margareth Vieira de Lima

Vice-presidente: Robson Vicente da Silva

Secretário-geral: Jose Valdilon da Silva

Secretário de Finanças: Italo José Ramalho de Moura

Secretário de Formação Política e Sindical: Aílson Matias de Melo

Secretário de Articulação Política e Sindical: Rubens Ferreira da Costa

Secretário de Comunicação: Jairo Jefferson da Andrade

Secretário de Administração e Patrimônio: Thiago Aires Laurentino

Secretário de Esportes, Lazer e Cultura: Sergio Mário Teixeira

Secretário de Assuntos Jurídicos: Luciano Angelo da Silva

Secretário de Previdência e Saúde: Maurílio Salustino Dantas

Secretário de Meio Ambiente: Clécio José Vieira da Silva

Secretária de Mulheres: Leila Rejane Lucas Silva

CONSELHO FISCAL

Membro titular: João Maria Napoleão de Medeiros

Membro titular: Carla Lenes Vieira da Araujo

Membro titular: Heronilson Pereira da Silva

Membro suplente: Antônio Josafá Félix

Membro suplente: Fábio Moraes da Silva

Membro suplente: Adilson Bezerra da Silva

Postado por ANATA

terça-feira, 12 de março de 2013

É chegada a hora!

CHAPA 1 – A Guarda somos nós: “Organizando a luta no RN

PROGRAMA DA CHAPA

Princípios Gerais

• Independência dos governos e dos comandos;
• Priorizar a mobilização e a luta como principal método.

Fortalecimento do SINDGUARDAS/RN

Finanças: Prestação de contas mensal através do blog do Sindguardas e
total transparência com as finanças da entidade.
Comunicação:
• Manter o blog atualizado e jornal impresso periodicamente;
• Intensificar a integração entre os municípios através de vídeo
conferências.
Assessoria jurídica: Agilidade nas demandas específicas de cada município.
Mulheres: Estimular a reativação do comitê de mulheres das Guardas
Municipais visando a auto-organização enquanto trabalhadora.
Meio Ambiente:
• Contribuir com o desenvolvimento de projetos com objetivo de
realizar controle populacional em massa em locais com grande
concentração de animais domésticos;
• Promover Educação Ambiental para a categoria, nas escolas
municipais e nas comunidades visando a proteção do meio ambiente e uma
melhor qualidade de vida para a população;
• Estimular um local de trabalho limpo, seguro e saudável para os
GMs e usuários, através do reaproveitamento, e reciclagem de
materiais;
• Lutar para efetivação das Leis de combates aos diversos crimes ambientais.
Esporte, Lazer e Cultura:
• Realização da 1ª copa de FUTSAL do SINDGUARDAS/RN;
• Realização do Arraiá SINDGUARDAS/RN;
• Comemoração do 10/10 - Dia Nacional dos Guardas Municipais.
Previdência e Saúde:
• Ações visando o acompanhamento da saúde física e mental dos GMs;
• Aposentadoria Especial e Integral.
Articulação política/sindical:
• Discutir com a categoria a filiação a uma central sindical;
• Campanha de filiação;
• Realizar campanha salarial anualmente.
Formação Política e Sindical:
• Realização de curso de formação política para direção e para base da GM;
• Cine cultural com debates sobre temas políticos e trabalhistas;
• Realização do 1º Congresso do SINDGUARDAS/RN;
• Palestras, seminários para discutir temas específicos como
Estatuto do desarmamento, Regulamentação e Aposentadoria Especial e
Integral.
Administração patrimônio:
• Estruturar fisicamente o sindicato.

Lutas para todos os municípios

Pauta comum:
• Estatuto próprio;
• Plano de Cargos, Carreira e Salários Específico;
• Realização de concurso público;
• Fardamento anualmente;
• Viaturas e equipamentos de proteção e mobilização;
• Sede própria.
Natal:
• Discussão e aprovação do plano de cargos e carreira específico
que se encontra protocolado na SEGELM;
• Continuar a luta pelo enquadramento no nível médio;
• Condições de trabalho para o NASGAM e agilidade no atendimento.
Ceará-mirim:
• Aumento no valor do Adicional de Risco de Vida;
• Vale Alimentação para escalas de 12 e 24h;
• Auxílio transporte;
• Regularização do porte de arma.
João Câmara:
• Adicional de Risco de Vida;
• Reforma da Sede da GM.
Santo Antônio:
• Adicional de Risco de Vida;
• 1º Fardamento completo.
Monte Alegre:
• Finalização do processo de aquisição do porte de arma.
Ielmo Marinho:
• Sede própria para a GM;
• Adicional de Risco de vida;
• Auxílio alimentação para escalas de 12 e 24h;
• Auxílio transporte.
Bento Fernandes:
• Adicional de Risco de Vida.
Poço Branco:
• Adicional de Risco de Vida.
Upanema:
• Aumento no Adicional de Risco de Vida.
Tibau do Sul:
• 1º fardamento completo;
• Fim do desvio de função

sexta-feira, 8 de março de 2013

08 DE MARÇO - DIA DE LUTA PARA AS MULHERES DA GUARDA MUNICIPAL

ÀS MULHERES GUARDAS MUNICIPAIS

Os (as) Guardas Municipais estão inseridos (as) em um contexto profissional predominantemente masculino e isso se deve em grande parte, ao fato do tema da segurança pública nunca ter sido debatido democraticamente dentro da sociedade e ao profissional da área, exigir-se apenas o uso da força. Como conseqüência, em algumas cidades do Brasil, ainda existe cotas para o ingresso de mulheres nas Guardas Municipais e, em alguns municípios o efetivo das Guardas é composto apenas por homens.

A Lei Maria da Penha cita a Guarda Municipal, como uma das instituições que precisam ter capacitação permanente para lidar com a demanda da violência contra as mulheres, no capítulo lll dispõe sobre a responsabilidade das autoridades policiais no atendimento às mulheres em situação de violência em especial da violência doméstica e familiar, sendo hoje, o grande desafio incorporá-la de forma mais efetiva na formação do/da profissional guarda municipal.

A violência praticada contra a mulher, ou a violência de gênero, é um fato que existe há muito tempo na sociedade. Ela atinge as mulheres independentemente da cor, idade, religião, etnia, nacionalidade, hora, dia, local, orientação sexual ou condição social. Desta forma, precisamos preparar toda a categoria de forma permanente para compreender e respeitar a situação de fragilidade em que as mulheres em situação de violência se encontram, quando procuram por ajuda.

O álcool e outras drogas potencializam a prática da violência, principalmente durante os finais de semana e feriados, por isso a necessidade de que as DEAM’S (Delegacias Especializadas de Atendimento à Mulher) funcionem em regime de plantão, que as Casas Abrigo sejam ampliadas e estruturadas e que desta forma as mulheres tenham seus direitos assegurados.

Quantas ocorrências já chegaram aos postos de serviço das Guardas Municipais? Quantas mulheres violentadas já necessitaram dos serviços desta instituição? É necessário um olhar mais sensível por parte dos Governos Municipais, no sentido de proporcionar uma discussão mais aprofundada sobre a realidade em que as mulheres estão submetidas.

Seja no serviço operacional, burocrático, ou na luta por direitos, enquanto trabalhadora existem companheiras atuando, se fazendo respeitar e empunhando as bandeiras pela igualdade entre homens e mulheres, nada deixando a desejar, pois, desempenham seu trabalho com muita competência e assim seguem construindo o espaço das mulheres na luta por uma segurança pública que respeite os direitos humanos de todos e todas.

No Dia Internacional da Mulher, convidamos todos e todas que compõe as Guardas Municipais a reivindicar melhores condições de trabalho, a realização de concurso público, o reconhecimento como técnico (a) em segurança pública, a contratação do seguro de vida e um plano de cargos, carreira e salários específico que respeite a qualificação de todos e todas, mudanças no Estatuto do Desarmamento e a regulamentação da profissão.


DIA 08 DE MARÇO

DIA DE LUTA PARA AS MULHERES GUARDAS MUNICIPAIS!

Secretaria de Mulheres do SINDGUARDAS/RN

Postado por SINDGUARDAS/RN

quarta-feira, 6 de março de 2013

RN: média é de 3,7 homicídios diários

Dolce & Gabbana114641

O Instituto Técnico-Científico de Polícia (Itep) registrou 235 homicídios no Rio Grande do Norte do dia 1º de janeiro deste ano até ontem, o que representa 24,50% do total registrado em todo o ano de 2012 (959). Foram 102 ocorrências em janeiro, 118 em fevereiro e mais 15 nos quatro primeiros dias de março. A média é de 3,7 homicídios por dia, o que representa um aumento de 41,76% em relação à média registrada em 2012 - 2,61.  Os registros são disponibilizados diariamente no site da Secretaria de Segurança Pública e Defesa Social (Sesed), e foram contabilizados pela reportagem da TRIBUNA DO NORTE. Segundo os dados do Itep/RN, somente nos dias 9 e 29 de janeiro não ocorreram assassinatos. A maioria das vítimas é homem, com idade variando entre 20 e 30 anos de idade. E os homicídios, em sua maioria, são provocados por disparos de arma de fogo.   A crescente taxa de mortalidade provocada por mortes violentas, especificamente assassinatos, vem sendo evidenciada através dos registros numéricos no decorrer dos anos. Entre 2000 e 2010, o aumento no número de casos  foi de 157%, quando o crescimento populacional chegou a apenas 14%. Informações oficiais da Subcoordenadoria de Estatística e Análise Criminal da Secretaria da Segurança Pública e da Defesa Social (Sesed) do Rio Grande do Norte também confirmaram o crescimento no número de homicídios em Natal e região metropolitana entre 1º de janeiro e 26 de novembro 2011 e o mesmo período do ano passado. O aumento foi de 17,9% na capital e 13,8% na Grande Natal. A Subcoordenadoria também divulgou os números de Mossoró e na Região Oeste neste mesmo período. Os dados vão de encontro aos constatados na capital potiguar, tendo diminuição de 39,7%. A Sesed foi procurada pela TN, que buscava informações acerca de projetos desenvolvidos pelo Estado que visem o combate ao aumento de assassinatos no Rio Grande do Norte, mas não obteve êxito. A assessoria de imprensa da pasta informou que o titular, Aldair da Rocha, viajou para fazer um treinamento relativo aos procedimentos a serem adotados durante a Copa do Mundo de 2014. O assessor disse que somente o secretário poderia repassar detalhes sobre os programas do Governo. A Sesed planeja criar uma Divisão Especializada na Investigação de Homicídios, mas as tentativas não saíram do papel. Aldair chegou a anunciar, na semana passada, que ela será aberta ainda este ano. MP investiga execução de jovens O Ministério Público do RN está investigando a existência de um grupo de extermínio atuando na execução de jovens e adolescentes que tinham cometido atos infracionais. A assessoria de imprensa do MP confirmou que há um grupo de promotores de Investigação Criminal tentando elucidar as ocorrências de homicídios desta espécie na Região Metropolitana. O Ministério Público está fazendo um mapeamento dos casos, os dividindo por locais de maior incidência. Há também um trabalho de levantamento das investigações já iniciadas pela Polícia Civil para apontar os possíveis autores dos assassinatos. A investigação do MP foi aberta depois do recebimento de dados levantados pelas 1ª e 3ª varas da Criança e da Juventude de Natal. Os titulares das duas varas, os juizes José Dantas de Paiva e Homero Lechner, constataram que, somente no ano passado, 325 menores de 21 anos de idade morreram na capital potiguar. O magistrado José Dantas confirmou que deste total, 70% foram vítimas de mortes violentas. Os números levam em consideração as pessoas com até 21 anos, porque esta é a idade máxima de cumprimento de medidas socioeducativas em virtude de infrações cometidas na adolescência. São considerados adolescentes pessoas entre 12 e 18 anos de idade, com internação máxima de três anos em locais de recuperação através de medidas socioeducativas, segundo explicou o juiz Homero Lechner. Para ele, os índices de mortalidade destes jovens não são normais. "Estão matando os adolescentes, mas quem está fazendo isso é a polícia que precisa dizer", declarou. "A maioria dos adolescentes estava ligada a algum ato infracional, cujo processo ainda estava em andamento", revelou o magistrado Homero Lechner. Os altos índices de assassinatos só foram percebidos porque depois de solicitar novas intimações direcionadas aos adolescentes, os magistrados recebiam a informação de que o óbito do menor de idade já havia acontecido. "Isso começou a se repetir e fomos percebendo essa coincidência estranha", explicou o juiz. Nos últimos 64 dias, 178 armas foram retiradas das ruas  O comandante geral da Polícia Militar, coronel Francisco Canindé de Araújo Silva, afirmou que 178 armas foram apreendidas pela PM em 2013. O número total de armamentos recolhidos no ano passado foi de 921, e de 823 em 2011. para o coronel Francisco Araújo, a retirada das armas das ruas pode auxiliar na diminuição dos assassinatos e outros crimes, como assaltos. "Quanto mais apreendermos armas, mais evitamos que crimes sejam cometidos com elas", disse o oficial.  Na manhã de ontem, inclusive, mais uma apreensão foi realizada em conjunto pelas polícias Civil e Militar. O alvo foi um grupo de suspeitos do bairro de Mãe Luíza. Três homens foram presos e um adolescente apreendido na ação. Com o grupo, foram apreendidos celulares, uma balança de precisão, maconha e um revólver calibre 38. Houve troca de tiros durante a ação e o adolescente acabou sendo baleado, mas foi socorrido pelo Sistema Móvel de Atendimento de Urgência (Samu) e passa bem.  A polícia aponta o grupo como responsável por assaltos a granjas em São José de Mipibu, na Grande Natal. Apesar do esforço da polícia para a retirada das armas das ruas, os números crescentes das apreensões têm sido diretamente proporcionais ao aumento dos crimes de assassinato no Estado. Governo promete investir R$ 100 mi O Governo do Rio Grande do Norte tem R$ 100 milhões para investir em aparato policial em 2013, segundo a governadora Rosalba Ciarlini. De acordo com a "Mensagem Anual à Assembleia Legislativa" da chefe do Executivo, os recursos são de ordem estadual e federal. Rosalba afirmou que o montante vai cobrir gastos da chamada 'matriz de responsabilidades para a Copa do Mundo 2014', na área da segurança, que, ainda de acordo com o documento, deve ser assinada nas próximas semanas. Também na Mensagem Anual, Rosalba Ciarlini confirmou que o Centro Integrado de Segurança Pública (Ciosp) será transferido para o Centro de Comando de Controle, a ser instalado na Escola do Governo. Rosalba disse que o Ciosp será informatizado e modernizado. A governadora garantiu ainda o aumento da frota de viaturas e a requalificação de policiais civis e militares para realização operações preventivas antiterror e de controle de eventos de grande porte, nos estádios e nas festas que reunirão torcedores.

Tribuna do Norte

Postado por guardamunicipaldemacau

http://gmmacaurn.blogspot.com.br/2013/03/rn-media-e-de-37-homicidios-diarios.html

O Guardião

Chacina: bandidos matam três irmãos e uma mulher em Poço Branco

O pacato município de Poço Branco amanheceu chocado com a notícia de uma chacina na rua João Ferreira da Cruz. Três irmãos e uma mulher foram assassinados a tiros, na madrugada desta quarta-feira (6), por homens armados que invadiram a residência deles se dizendo policiais.

Os criminosos conseguiram arrombar a porta casa, acordaram as vítimas e as mataram com tiros nas cabeças. Os disparos foram ouvidos por vizinhos, por volta de 1h. A Polícia Militar foi rapidamente acionada, mas quando chegou ao local os autores da chacina já tinham fugido com destino ignorado.

Os três irmãos foram identificados como Marcio Varela Henrique, de 24 anos, João Emanuel Henrique Pereira e Ranchel Henrique Pereira. Já a mulher morta foi identificada como Larissa Roberta de Oliveira Silva, de 21 anos. De acordo com a polícia, ela era esposa de um dos rapazes.

Ainda não se sabe a motivação dos quatro homicídios, no entanto, informações extraoficiais dão conta que um dos jovens mortos teria envolvimento com drogas. As vítimas foram levadas para o Itep, em Natal, onde passaram por necropsia. Os corpos só deverão ser liberados no final da manhã.

Portal BO

Postado por Sargento PM Sandra

O Guardião.

Faz tempo de Poço Branco deixou de ser uma cidadezinha pacata do interior, e mais ou menos como diz o ditado da cantiga da perua “de pior a pior”.

sábado, 2 de março de 2013

PREFEITO DE BENTO FERNANDES PERSEGUE TRABALHADORES

O prefeito de Bento Fernandes está sendo acusado de perseguir politicamente os trabalhadores do muncípio que não votaram nele. Após vencer uma eleição onde precisou gastar muito dinheiro para ser eleito, o prefeito resolveu se vingar e "baixar a macaca" nos servidores municipais como diz um "apadrinhado" dele. Ivanaldo sequer mora na cidade para a qual foi eleito como prefeito, vai lá uma vez por semana e à noite. Ele quase nunca vai a Bento Fernandes porque mora em Natal e trabalha no Gabinete do Dep. Ricardo Mota.
Os auxiliares do prefeito a mando dele estão praticando assédio moral, dificultando a vida daqueles que estudam, mudando os servidores do seu local de trabalho, discriminando as mulheres e prestando um desserviço à população da cidade, chegando ao ponto de proibir que uma funcionária pudesse andar no próprio carro da prefeitura. Em relação à Guarda Municipal, o prefeito retirou o Adicional Noturno, está desmontando a dupla de serviço, não paga o Adicional de Risco de Vida e a sede da GM está totalmente deteriorada, precisando de uma reforma urgente. Resumindo, o Prefeito Ivananldo está mostrando que não tem qualquer respeito pela segurança do munícipe  e pelos servidores públicos. O SINDGUARDAS/RN já está cobrando a reforma imediata da sede da GM, vale-alimentação, Auxílio-transporte e o Adiconal de Risco de Vida para a categoria. Caso os problemas não sejam solucionados, iremos realizar uma grande mobilização na cidade de Bento Fernandes e também agilizar ações judiciais. Postado por SINDGUARDAS/RN http://sindguardasrn.blogspot.com.br/2013/03/prefeito-de-bento-fernandes-persegue.html
O Guardião
Esse não é um caso isolado na região do Mato Grande, muito menos nas praticas de gestão de pseudo administradores públicos municipais, em sua maioria semianalfabetos ignorantes que preferem a truculência ao invés do dialogo.
Acham-se donos da coisa pública ao ponto de não prestarem contas de seus atos achando que vivem ainda os tempos dos coronéis, “casando e batizando” de forma inescrupulosa e arbitraria.
É o cumulo do absurdo, alem de sonegas os direitos inerentes as atividades dos servidores e de sucatear as instituições e seus serviços, buscam de toda forma prejudicar o crescimento pessoal dos servidores dificultando a busca por uma melhor qualificação.
É lamentável e revoltante a inércia de muitos frente ao abuso do poder impetrado pela força e ignorância, e uma infelicidade ver nossos municípios sendo gerido por esse tipo de gestão indolente descompromissada e demagoga.