terça-feira, 22 de fevereiro de 2011

Pacata Cidade do Interior?!

E verdade que Poço Branco se comparada com outras regiões ainda merece o titulo de pacata cidade do interior, mais e impossível deixar de perceber algumas mudanças pelo qual a cidade e conseqüentemente seu povo tem passado onde diariamente os pequenos delitos formam uma massa de contravenções intoleráveis sem que se sinta nas ruas a presença de algumas autoridades, e bem verdade que com todas as suas dificuldades e limitações a policia militar tem prestado um bom serviço em nosso município, porem, quando falo de policia me lembro que há um velho ditado que diz: "na hora da dificuldade o ser humano roga a Deus e clama pela polícia. Passada esta, esquece-se de Deus e amaldiçoa a polícia”. Infelizmente a policia não e onipresente ou tão pouco auto-suficiente e deveria ser a última instância dentro desse sistema, a polícia no geral não executa políticas sócias ou tão pouco legisla, isso cabe a outras autoridades.
Hoje se dermos uma volta por Poço Branco claramente perceberemos a lacuna deixada por essas autoridades locais, basta ter ouvido para ouvir e olhos para ver, infelizmente o povo fala, não o povo grita e não e visto.
A luz dos olhos de quem quiser vê cidadãos disputa verdadeiros campeonatos de contravenções com impunidades olímpicas e o mais triste é saber que as autoridades competentes não se entendem e muitas das vezes desprezam a ajuda da GUARDA MUNICIPAL, sobretudo com argumentos inguinorantes incapazes de justificar tal desprezo.
De forma velada para alguns e explicitamente para outros, os cidadãos são obrigados o conviver constrangido e tendo que aceitar a banalização de tais atos, pois esses não têm a que recorrer o cidadão que ver essas atitudes nocivas ao convívio social acredita que as autoridades também estão vendo.
E fato que diante de tais transformações algo de urgente precisa ser feito, sobretudo levando em consideração a prevenção é prevenção se faz nas bases de forma corajosa e pioneira para tentarmos com objetivo e metas de forma qualificada (e não tentar por tentar) buscando reverter essa situação ou pelo menos nos contrapor a essa onda de banalização do ilícito do transgredir, e triste ver tanto dinheiro sendo gasto de forma desarticulada onde os fatores negativos superam os benefícios.
Na pacata cidade do interior de algumas messes para cá já vimos de tudo de pequenos furtos a assalto a banco, do consumo ao trafico, da tentativa ao homicídio, ate tentativa de invasão a delegacia já vimos, nós nos perguntamos a onde vamos chegar? O que mais precisa acontecer para que de fato se tome uma providencia as famílias de bem logicamente formadas por pessoas de bem não se sentem a vontade para freqüentar os conhecidos locais de lazer coletivos, pois esses se tornaram palco de episódios corriqueiros de violência, já não podemos andar tranquilamente nas ruas e isso não e só durante a noite durante o dia também podemos ser vitimas dos adeptos do rali.
Já passa da hora de todas as instituições, os que se dizem filhos de poço branco e os que adotaram essa terra de forma verdadeira livre de vaidades, mais com amor e responsabilidade buscarmos juntarmos soluços praticas sem colocar nas mãos de pessoas indiferentes a situação vivida pelos cidadãos que aqui vivem a resolução de nossos problemas deve ser discutidas e resolvidas por quem as conhece de verdade, ou seja, pelo povo de poço branco.
Escrito por: Robson Vicente

Nenhum comentário: